Inmetro irá certificar bens de informática

Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia) disponibilizou para consulta pública, por 60 dias, a proposta de texto para a certificação voluntária de bens de informática. A regulamentação surgiu após a publicação do Decreto n° 7174 no Diário Oficial da União, em 12 de maio de 2010, que determina que somente bens de informática fabricados em conformidade com os requisitos estabelecidos pelo Inmetro poderão ser comprados pelo Governo Federal. A lista de produtos contempla 24 itens, entre eles servidores, caixas eletrônicos, terminais de consulta, tablets, estações de trabalho, impressoras, calculadores e até calculadoras.

“Com a implantação do Programa de Avaliação da Conformidade para bens de informática, estamos atendendo a uma determinação do Ministério do Planejamento. Vamos avaliar o desempenho de cada produto determinando níveis mínimos de eficiência energética a serem cumpridos, compatibilidade eletromagnética, ou seja, a capacidade de não emitir interferências,  e, principalmente, estabelecendo requisitos mínimos de segurança”, destaca Gustavo Kuster, gerente da Divisão de Programas de Avaliação da Conformidade.

Os textos das Portarias foram publicados no Diário Oficial da União, no dia 19 de setembro de 2011 e encontram-se disponíveis no site do Inmetro. Durante o período de consulta pública poderão ser enviadas dúvidas, críticas e sugestões para o e-mail dipac.consultapublica@inmetro.gov.br ou para a Divisão de Programas de Avaliação da Conformidade (Dipac), no endereço Rua da Estrela 67/2º andar, Rio Comprido, Rio de Janeiro – Brasil – Cep 20.261-232.

Fonte: Assessoria de imprensa Inmetro.

Anúncios
Categorias:Notícias

Red Hat Brasil lança site para demostrar as vantagens de uma migração para Linux

O mercado de TI encontra-se em um cenário bastante desafiador. A pressão tem sido por reduzir os custos e ao mesmo tempo acompanhar as demandas cada vez maiores de suporte de TI para as transações comerciais. Uma das soluções é a adoção de sistemas de código aberto. Após completar 20 anos de desenvolvimento, o Linux evoluiu para uma plataforma madura, capaz de processar cargas de trabalho pesadas a um custo bastante inferior as opções de UNIX comerciais.

É nesse contexto que o GNU/Linux vêm ganhando cada vez mais espaço no mercado corporativo, pois em cenários de migração, ele se mostra uma alternativa viável, de baixo risco e com melhor custo/benefício, principalmente quando em relação às implantações de UNIXs tradicionais. A partir de seu uso, é possível obter melhorias no custo total de propriedade (TCO).

Pensando nesse cenário, a Red Hat está lançando o site www.migrepararedhat.com.br. O site mostra casos de migração de soluções Unix proprietárias para o Red Hat Enterprise Linux (RHEL), comparações de cenários e pretende auxiliar os tomadores de decisão nas empresas a enxergar as inúmeras vantagens em casos como esse. Mais informações podem ser obtidas através do próprio site.

Categorias:Software Livre

Facebook, Google e sites de mídia social energicamente censuram conteúdos cristãos

Jeremy Kryn

MANASSAS, VA, EUA, 21 de setembro de 2011 (Notícias Pró-Família) — Um novo estudo revelou que o Google e outros grandes sites de mídia social como Facebook de forma enérgica estão censurando as opiniões cristãs e conservadoras.

relatório, conduzido pela Mídia Religiosa Nacional (MRN) e pelo Centro Americano de Lei e Justiça, examinou as políticas e práticas de várias grandes plataformas de comunicação da “nova mídia” interativa de internet e provedores de serviço de internet, inclusive a Apple e sua Loja de Aplicativos iTunes, Facebook, Google e outros.

O estudo revelou que algumas empresas de tecnologia da nova mídia estão de forma descarada banindo conteúdo cristão, e que todos os sites de mídia social, exceto o Twitter, têm políticas de liberdade de expressão que são mais restritivas do que os direitos de livre expressão garantidos na Constituição dos EUA.

De acordo com o estudo, sete grandes sites de mídia social baniram “expressões de ódio”, um termo que os autores do estudo apontam que “é muitas vezes aplicado na cultura para reprimir comunicadores cristãos”.

Os autores do estudo também revelaram que algumas das empresas de mídia reagem de forma favorável às exigências de grupos de pressão que pedem que as opiniões conservadoras ou cristãs sejam censuradas.

O estudo nota que quando estabeleceu novas normas para seu “Google para Uso Sem Fins Lucrativos” em março de 2011, o Google recusou colocar na lista “igrejas e outros grupos religiosos” que consideram “a religião ou orientação sexual em práticas de contratação”. As igrejas cristãs que solicitaram o software completo das ferramentas do Google produzidas para uso sem fins lucrativos foram rejeitadas.

Em outra ocasião o mais potente programa de busca do mundo inicialmente proibiu o Instituto Cristão Britânico de comprar espaço para um anúncio sobre aborto. O mecanismo de busca só permitiu o anúncio depois que o Instituto Cristão Britânico processou o Google.

Por duas vezes, a Apple removeu, de sua Loja de Aplicativos do iTunes, aplicativos que continham conteúdo cristão, documentou o estudo. Em ambos os exemplos, a Apple confessou que esses aplicativos tiveram acesso negado porque a Apple considerou as opiniões cristãs expressas nesses aplicativos como “ofensivas”.

Dos 425.000 aplicativos disponíveis no iPhone da Apple, os únicos censurados pela Apple por expressarem opiniões normalmente legais foram aplicativos com conteúdo cristão”, comenta o estudo.

Por sua parte, o Facebook vem de forma pública fazendo parceria com ativistas homossexuais para “erradicar comentários anti-homossexualismo em sua plataforma”, revelou o relatório. “Tudo isso indica que conteúdos cristãos que critiquem a homossexualidade, o casamento de mesmo sexo ou práticas semelhantes estarão em risco de sofrer censura [por parte do Facebook]”, diz o estudo. Aliás, em alguns casos tais conteúdos já foram removidos pelo site de rede social.

Myspace, outro site de rede social semelhante, mas menos popular do que o Facebook, também tem uma política de banir conteúdo “homofóbico”.

A organização pró-vida Live Action tem enfrentando muitos casos de censura da nova mídia. Numa conversa com LifeSiteNews sobre o estudo da MRN, David Schmidt, diretor de meios de comunicação de Live Action, recordou uma ameaça de censura vinda do YouTube no começo deste ano.

Fomos ameaçados no começo deste ano”, disse ele. “Depois que nosso advogado enviou uma carta ao YouTube, eles não removeram nossos vídeos. Felizmente, eles foram considerados como vídeos que ‘merecem ser publicados’, uma política padrão para todos os usuários”.

Schmidt disse que a maioria dos vídeos de Live Action foram rejeitados pelos Vídeos Promovidos pelo YouTube por causa “de alguma questão de conteúdo”.

Os autores do estudo da MRN apontam para o fato de que as atitudes das empresas da nova mídia para com os conteúdos cristãos são importantes, pois atualmente “algumas das gigantescas empresas da ‘nova mídia’ são os guardiões das novas plataformas de comunicação com base na internet”.

Há um perigo real e presente de que essas empresas possam, e em alguns exemplos realmente tenham, feito o compromisso de censurar opiniões como consequência de seu controle exclusivo dessas tecnologias”.

Artigos relacionados:

Facebook faz parceria com organizações gays para deter comentários “discriminatórios”

YouTube censura pregação pró-vida assistida por milhões de brasileiros

Google irá pagar mais para funcionários homossexuais do que heterossexuais

Google irá pagar mais para funcionários homossexuais do que heterossexuais

O ataque ao aplicativo de iPhone

Apple remove aplicativo de ex-gays depois que ativistas gays se queixam

Grupo gay exige que Apple remova aplicativo de ex-gays

Apple rejeita aplicativo pró-vida e pró-família… de novo

Fazendo uso de acusações de ódio para promover ódio

Traduzido por Julio Severo: www.juliosevero.com

Fonte: http://noticiasprofamilia.blogspot.com

Veja também este artigo original em inglês: http://www.lifesitenews.com/news/facebook-google-social-media-sites-actively-censor-christian-content-study

Copyright © LifeSiteNews.com. Este texto está sob a licença de Creative Commons Attribution-No Derivatives. Você pode republicar este artigo ou partes dele sem solicitar permissão, contanto que o conteúdo não seja alterado e seja claramente atribuído a “Notícias Pró-Família”. Qualquer site que publique textos completos ou grandes partes de artigos de Notícias Pró-Família ou LifeSiteNews.com em português tem a obrigação adicional de incluir um link ativo para “NoticiasProFamilia.blogspot.com”. O link não é exigido para citações. A republicação de artigos de Notícias Pró-Família ou LifeSiteNews.com que são originários de outras fontes está sujeita às condições dessas fontes.

Artigos relacionados no Blog Julio Severo:

Google censura grito de socorro em favor de crianças indígenas

Incrível! WikiNews censura notícia que denunciava censura ao Blog Julio Severo

Google devolve ao Blog Julio Severo o direito de livre expressão

Campanha de “ódio” online mira sites cristãos

Para seguir Julio Severo no Facebook e Twitter: http://twitter.com/juliosevero Facebook: http://www.facebook.com/profile.php?id=742399629

Categorias:Notícias

Petição contra discriminação do PayPal alcança 7.400 assinaturas — PayPal nega-se a se explicar

Matthew Cullinan Hoffman

Clique aqui para assinar a petição ao PayPal para protestar contra a perseguição de cristãos pró-família

28 de setembro de 2011 (Notícias Pró-Família) — Apesar do fato de que mais de 7.400 pessoas assinaram uma petição pedindo ao PayPal que não sucumba às pressões de ativistas homossexuais, que estão insistindo com a empresa para que elimine os ativistas cristãos de seu serviço, até o momento o PayPal não deu nenhuma resposta.

Enquanto isso, grupos homossexuais estão se gabando de que a campanha deles fez com que fossem eliminados do serviço do PayPal a entidade evangélica Coral Ridge Ministries assim como Julio Severo, que é tradutor de LifeSiteNews e blogueiro pró-família.

Além de ser desligado do serviço, Severo também foi informado de que os recursos financeiros em sua conta do PayPal ficarão congeladas por seis meses. Após esse período, a empresa diz que lhe dará informações de como retirar os recursos.

LifeSiteNews começou a coletar assinaturas em meados de setembro depois que a organização gayzista AllOut iniciou uma petição para pedir ao PayPal que revogasse as contas de organizações e indivíduos cristãos que se opõem ao estilo de vida e agenda política homossexual, afirmando que esses grupos pregam “ódio” e são “extremistas”.

A lista inclui importantes organizações pró-família, como Tradição, Família e Propriedade (TFP) e Americanos a favor da Verdade acerca da Homossexualidade (Americans for Truth About Homosexuality [AFTAH]) na mesma categoria do extremista Dove World Outreach Center, que recentemente provocou violência em países muçulmanos depois de ameaçar queimar publicamente o Corão.

LifeSiteNews tentou contatos com o PayPal por meio do endereço eletrônico fornecido pela empresa, e telefonou para o serviço ao cliente.

A resposta por e-mail do PayPal foi insistir em interagir apenas com os donos de contas no PayPal com queixa sobre suas próprias contas. A organização afirma que não pode abrir o anexo com a planilha eletrônica que contém as assinaturas da petição. O PayPal também afirma que Severo é uma “organização” não registrada, para justificar eliminá-lo do serviço.

Uma chamada telefônica ao serviço ao cliente deu como resultado que LifeSiteNews recebeu um número de telefone para ligar para o departamento de relações públicas do PayPal, o qual não retornou uma mensagem deixada em sua secretária eletrônica.

LifeSiteNews enviou e-mails para dois endereços do PayPal publicados na internet por um proeminente site anti-PayPal que afirma que eles se correspondem com Scott Thompson, presidente do PayPal, e com Mike Vergara, diretor sênior do departamento de proteção aos clientes. LifeSiteNews não recebeu nenhuma resposta.

Informações de contato:

Assine a petição ao PayPal para protestar contra a perseguição de cristãos pró-família.

Telefone para a sede do PayPal nos EUA: 1-402-935-2050

Envie um e-mail ao PayPal clicando aqui e selecionando “Email Us”. Pessoas que não têm conta no PayPal podem selecionar a opção à direita e receberão um formulário para preencher.

Artigos relacionados:

Ativistas gays cortam conta de PayPal de Julio Severo, tradutor de LifeSiteNews e ativista pró-vida

PayPal lança investigação contra grupos pró-família depois que homossexuais se queixamHomossexuais querem eliminar contas do PayPal de organizações pró-família

Traduzido por Julio Severo: www.juliosevero.com

Fonte: http://noticiasprofamilia.blogspot.com

Veja também este artigo original em inglês: http://www.lifesitenews.com/news/petition-against-paypal-discrimination-reaches-7400-signatures-paypal-stone/

Copyright © LifeSiteNews.com. Este texto está sob a licença de Creative Commons Attribution-No Derivatives. Você pode republicar este artigo ou partes dele sem solicitar permissão, contanto que o conteúdo não seja alterado e seja claramente atribuído a “Notícias Pró-Família”. Qualquer site que publique textos completos ou grandes partes de artigos de Notícias Pró-Família ou LifeSiteNews.com em português tem a obrigação adicional de incluir um link ativo para “NoticiasProFamilia.blogspot.com”. O link não é exigido para citações. A republicação de artigos de Notícias Pró-Família ou LifeSiteNews.com que são originários de outras fontes está sujeita às condições dessas fontes.

Categorias:Notícias

Urgente: pela legalização do homeschooling

Prezados,

Tramitam na Câmara dos Deputados, desde 2008, os Projeto de Lei (PL) 3518/2008, de autoria dos Deputados Henrique Afonso (PT-AC) e Miguel Martini (PHS-MG), e 4122/2008, de autoria do Dep. Walter Brito Neto (PRB-PB). Esses projetos, que estão tramitando juntos, propõem a legalização explícita do ensino domiciliar ouhomeschooling no Brasil.

Eles começaram a sua tramitação pela Comissão de Educação e Cultura (CEC) da Câmara, onde estão até hoje. Para quem não sabe, a Câmara se divide em comissões temáticas, que são grupos de deputados que se especializam em certos assuntos. Todos os projetos que dizem respeito à educação e à cultura passam pela CEC. Quando um projeto de lei passa por qualquer comissão da Câmara, um dos deputados-membros é escolhido como relator e tem a tarefa de examinar o projeto e produzir um relatório a seu respeito, explicando-o aos demais membros da comissão e recomendando a aprovação ou rejeição do projeto. A comissão é livre para acatar ou não o relatório do deputado relator, mas em geral a tendência é acatá-lo.

Em junho de 2009, a então deputada relatora, Bel Mesquita (PMDB-PA), apresentou à CEC um relatório propondo a rejeição dos projetos sobre homeschooling, alegando que eles violariam a Constituição e as leis brasileiras, que a socialização escolar é imprescindível e que há países desenvolvidos que proíbem ou restringem o ensino domiciliar.

Em julho de 2009, o Dep. Lobbe Neto (PSDB-SP) sugeriu à CEC que, antes que ela tomasse alguma decisão acerca do relatório da Dep. Bel Mesquita e dos projetos sob análise, fosse realizada uma audiência pública, na qual a CEC convidaria especialistas no assunto a apresentarem palestras e discutirem o tema perante a Comissão. Essa audiência de fato foi realizada em outubro de 2009, com a participação dos seguintes palestrantes:

(a) o Sr. Carlos Artexes Simões, diretor de Concepções e Orientações Curriculares para a Educação Básica, da Secretaria de Educação Básica do Ministério da Educação; 

(b) o Sr. Cláudio Ferraz Oliver, escritor, mestre em educação pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná, em Curitiba, e residente nessa cidade; 

(c) o Sr. Cléber de Andrade Nunesdesigner, residente em Timóteo (MG), pai de dois adolescentes que estão sendo educados em casa por ele próprio e por sua mulher, e que por causa disso está enfrentando ações judiciais divulgadas na imprensa de todo o país;

(d) o Prof. Luiz Carlos Faria da Silva, doutor em educação pela Universidade Estadual de Campinas e professor da Universidade Estadual de Maringá (PR);

(e) o Prof. Alexandre Magno Fernandes Moreira Aguiar, procurador do Banco Central do Brasil, professor de Direito na Universidade Paulista e em vários cursos preparatórios para concursos em Brasília. 

O representante do MEC posicionou-se contrário aos projetos; todos os demais, contudo, se pronunciaram favoravelmente e apresentaram com brilho vários argumentos relevantes.

Em consequência dessa audiência, o deputado que a presidiu, Wilson Picler (PDT-PR), convenceu-se do mérito do ensino domiciliar e preparou uma proposta de emenda constitucional (PEC) destinada a consagrar na Constituição Federal o direito ao ensino domiciliar. Ele conseguiu o apoio de dezenas de outros deputados para apresentar essa proposta. Trata-se da PEC 444/2009, que também está tramitando no Congresso. Não se deve confundir a PEC 444/2009 com os dois projetos de lei que estou comentando aqui; enquanto a PEC pretende alterar a Constituição Federal, os PLs pretendem modificar a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB) e o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Para os interessados na prática do ensino domiciliar, é muito importante a aprovação tanto da PEC quanto destes PLs.

Pois bem: depois dessa audiência pública, a tramitação dos PLs na CEC da Câmara parou por um longo tempo. O relatório da Dep. Bel Mesquita foi arquivado sem ser votado. A deputada, por sua vez, não foi reeleita e saiu da Câmara dos Deputados.

Até que agora, em 15/09/2011, o novo relator, o Dep. Waldir Maranhão (PP-MA), apresentou um novo relatório à CEC sobre esses projetos. E esse segundo relatório também recomenda a rejeição dos dois projetos, com base em argumentos idênticos aos da antiga relatora Bel Mesquita.

Esse relatório ainda não foi votado pela CEC, mas pode vir a ser votado a qualquer momento. Caso a CEC aceite o relatório, os projetos serão rejeitados definitivamente e nós perderemos uma oportunidade histórica de legalizarmos o ensino domiciliar no Brasil. É fundamental, portanto, que todos aqueles que apoiam ohomeschooling escrevam aos deputados que integram a CEC, manifestando seu apoio aos projetos e sua desaprovação do relatório do Dep. Waldir Maranhão — e, naturalmente, solicitando aos deputados que rejeitem o relatório do Dep. Maranhão e aprovem os projetos.

Os e-mails dos deputados que integram a CEC são:

cec@camara.gov.br

dep.fatimabezerra@camara.gov.br

dep.lelocoimbra@camara.gov.br

dep.arturbruno@camara.gov.br

dep.aliceportugal@camara.gov.br

dep.biffi@camara.gov.br

dep.nazarenofonteles@camara.gov.br

dep.paulopimenta@camara.gov.br

dep.pedrouczai@camara.gov.br

dep.reginaldolopes@camara.gov.br

dep.waldenorpereira@camara.gov.br

dep.gabrielchalita@camara.gov.br

dep.joaquimbeltrao@camara.gov.br

dep.professorsetimo@camara.gov.br

dep.raulhenry@camara.gov.br

dep.maragabrilli@camara.gov.br

dep.pintoitamaraty@camara.gov.br

dep.waldirmaranhao@camara.gov.br

dep.luizcarlossetim@camara.gov.br

dep.nicelobao@camara.gov.br

dep.professoradorinhaseabrarezende@camara.gov.br

dep.izalci@camara.gov.br

dep.paulofreire@camara.gov.br

dep.tiririca@camara.gov.br

dep.dr.ubiali@camara.gov.br

dep.luiznoe@camara.gov.br

dep.paulorubemsantiago@camara.gov.br

dep.antonioroberto@camara.gov.br

dep.stepannercessian@camara.gov.br

dep.alexcanziani@camara.gov.br

dep.alessandromolon@camara.gov.br

dep.angelovanhoni@camara.gov.br

dep.elianerolim@camara.gov.br

dep.emilianojose@camara.gov.br

dep.josedefilippi@camara.gov.br

dep.newtonlima@camara.gov.br

dep.ruicosta@camara.gov.br

dep.eliseupadilha@camara.gov.br

dep.maurobenevides@camara.gov.br

dep.osmarserraglio@camara.gov.br

dep.pedrochaves@camara.gov.br

dep.renanfilho@camara.gov.br

dep.rogeriopeninhamendonca@camara.gov.br

dep.bonifaciodeandrada@camara.gov.br

dep.eduardobarbosa@camara.gov.br

dep.jorginhomello@camara.gov.br

dep.nelsonmarchezanjunior@camara.gov.br

dep.esperidiaoamin@camara.gov.br

dep.joselinhares@camara.gov.br

dep.eleusespaiva@camara.gov.br

dep.joaobittar@camara.gov.br

dep.onyxlorenzoni@camara.gov.br

dep.ariostoholanda@camara.gov.br

dep.romario@camara.gov.br

dep.ozieloliveira@camara.gov.br

dep.penna@camara.gov.br

dep.rosaneferreira@camara.gov.br

dep.danrleidedeushinterholz@camara.gov.br

dep.pastormarcofeliciano@camara.gov.br

dep.jandirafeghali@camara.gov.br

dep.ivanvalente@camara.gov.br

Basta copiar todos os e-mails acima e colar de uma só vez no campo do destinatário. Mandem a sua mensagem para todos eles, independentemente do partido a que pertençam (há simpatizantes do ensino domiciliar em todos eles) e independentemente do fato de serem membros titulares ou suplentes da CEC (nunca se sabe quais serão os deputados efetivamente presentes à seção em que os projetos serão votados).

Para quem quiser acompanhar melhor os projetos e sua tramitação, esta é a página do PL 3518/2008:

http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=398589

e esta é a do PL 4122/2008:

http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=412025

Cliquem em “inteiro teor”, logo do lado dos números dos projetos, e vocês poderão lê-los.

Na página do PL 3518/2008, lá embaixo, vocês encontram uma referência ao parecer do Dep. Waldir Maranhão. Cliquem em “inteiro teor” e vocês poderão ler o relatório que ele escreveu.

Nessas páginas vocês também encontram outros documentos relevantes.

Por favor, encaminhem esta mensagem para qualquer pessoa que possa se interessar pelo tema.

Obrigado.

Atenciosamente,

Felipe Ortiz

Fonte: Mídia Sem Máscara

Divulgação: www.juliosevero.com

Para seguir Julio Severo no Facebook e Twitter: http://twitter.com/juliosevero Facebook: http://www.facebook.com/profile.php?id=742399629

Categorias:Notícias

Hackers gayzistas atacam petição pró-família a favor de Julio Severo e outros cristãos

Julio Severo

Um site com uma petição pró-família para apoiar a mim e outros cristãos sofreu ataque de hackers hoje.

 

Imagem copiada do site da petição pró-família hackeado no domingo de manhã, 25 de setembro de 2011

A petição foi criada por LifeSiteNews em resposta a uma campanha em massa da organização homo-fascista AllOut, que se gaba de ter mais de 500.000 adeptos.

A campanha de AllOut pressionou o PayPal a bloquear seus serviços para mim e organizações pró-família. O PayPal prontamente cedeu, primeiramente bloqueando minha conta, efetivamente me impedindo de receber doações voluntárias de amigos.

Agora, para garantir que uma campanha pró-família positiva pressione o PayPal na direção certa, hackers homossexuais atacaram o site da petição pró-família.

Ao que tudo indica, outras pessoas que querem ajudar também estão sob ataque. Don Hank, dono do site americano Laigle’s Forum, teve sua conta de e-mail MSN de acesso pago bloqueada depois de distribuir mensagens sobre o PayPal e sua injusta escolha de participar do ataque de AllOut contra mim.

Além disso, AllOut, que é uma organização que recebe grandes financiamentos, está ativamente coletando assinaturas para sua petição para pressionar o Congresso do Brasil a aprovar leis anti-“homofobia”. Provavelmente, AllOut está trabalhando em parceria com grupos homossexuais do Brasil, que o informaram acerca de mim e minhas atividades contra a agenda gay, inclusive meu livro “O Movimento Homossexual”, publicado originalmente pela Editora Betânia e agora disponível gratuitamente como e-book aqui.

Por quase dez anos, ativistas homossexuais estão ativamente hackeando sites que publicam artigos escritos por mim. Sites que me defendem também são atacados.

Tudo o que posso pensar é que vozes proféticas pagam um alto preço. Pergunte a João Batista. Ou pergunte às duas testemunhas de Apocalipse 11. Todos eles foram perseguidos por seu chamado profético, e todos eles foram abençoados pelas palavras de Jesus:

Bem-aventurados os que sofrem perseguição por causa da justiça, porque deles é o reino dos céus; bem-aventurados sois vós, quando vos injuriarem e perseguirem e, mentindo, disserem todo o mal contra vós por minha causa. exultai e alegrai-vos, porque é grande o vosso galardão nos céus; porque assim perseguiram os profetas que foram antes de vós.” (Mateus 5:10-12 ACF)

Para assinar a petição em português, siga este link:http://www.profamilyfreedom.net/pt/

Versão em inglês deste artigo: Gay hackers attack pro-family petition in defense of Julio Severo and other Christians

Fonte: www.juliosevero.com

PayPal coloca escritor cristão na lista negra

Ativistas gays cortam conta de PayPal de Julio Severo, tradutor de LifeSiteNews e ativista pró-vida

Campanha de “ódio” online mira sites cristãos

PayPal lança investigação contra grupos pró-família depois que homossexuais se queixam

Homossexuais querem eliminar contas do PayPal de organizações pró-família

Campanha homossexual internacional contra Julio Severo e outros cristãos

Blog Julio Severo no mundo inteiro

WND, importante site dos EUA, faz reportagem sobre blog inglês de Julio Severo

Livro “O Movimento Homossexual” agora disponível em e-book

Blogagem profética, testemunho de Julio Severo na sua luta contra o PLC 122

Dá para acreditar que existe algum genocídio contra homossexuais?

Proeminente ativista pró-família Julio Severo foge do Brasil para escapar de acusações de “homofobia”

Entrevista original de Julio Severo para a revista Cristianismo Hoje

Homossexuais brasileiros entram com ações legais por crime de ódio contra cristãos brasileiros

Terrorismo de imprensa

Em defesa do casamento: quando direitos são usados para exterminar a liberdade

Líder máximo do movimento homossexual publica os endereços residenciais de ativistas pró-família

Para seguir Julio Severo no Facebook e Twitter: http://twitter.com/juliosevero Facebook: http://www.facebook.com/profile.php?id=742399629

Categorias:Notícias

Blog Julio Severo eliminado?

Julio Severo

Ontem, quando voltei do supermercado, tive uma surpresa: minha conta de e-mail estava com acesso totalmente bloqueado. Imediatamente, entreguei a mim mesmo e meu ministério a Deus.

Em poucos minutos, comecei a receber chamadas de amigos me alertando que meu blog havia sido fechado. Quando entrei no meu blog para conferir, me deparei com a mensagem: “Este blog foi eliminado. Sentimos, mas o blog juliosevero.blogspot.com foi eliminado”.

Imediatamente, tentei me comunicar com o Google para desbloquear minha conta de e-mail e meu blog e o Google me deu a mensagem: “Account has been disabled. If you’ve been redirected to this page from the sign-in page, it means that access to your Google Account has been disabled. In most cases, accounts are disabled because of a perceived violation of either the Google Terms of Service…

A tradução é: “A conta foi desativada. Se você foi redirecionado a esta página a partir da página onde você faz o login, significa que o acesso à sua conta no Google foi desativada. Na maioria dos casos, as contas são desativas por causa de um percebida violação dos Termos de Serviço do Google…”

Sem nenhum aviso, o Google eliminou meus blogs em português, inglês, espanhol e alemão na tarde de 4 de outubro de 2011.

A pressão dos internautas foi muito rápida, com muitos divulgando e se queixando. Em pouco tempo, sem nenhum aviso, o Google restaurou os blogs e minha conta.

O que está acontecendo? Não sei. Além disso, o sistema automático de e-mails do meu blog, assim como seus feeds, parecem estar sendo bloqueados nos últimos 10 dias.

Em 2007, por pressão de uma campanha sistemática de ódio dos ativistas gays, o Blog Julio Severo foi fechado pelo Google. Quando um procurador de Brasília telefonou para o Google perguntando o motivo do fechamento, o advogado do Google respondeu que muitos haviam feito contato denunciando que o Blog Julio Severo promove ódio e violência. Então o procurador explicou calmamente que ele lia diariamente meu blog, sem nunca ter encontrado nenhuma incitação ao ódio e violência.

Além disso, o filósofo Olavo de Carvalho, em sua coluna no Jornal do Brasil,denunciou a censura ao Blog Julio Severo. Depois dessa mobilização que envolveu também muitas outras pessoas que telefonaram para o Google, o Blog Julio Severo foi liberado da censura.

Versão em inglês deste artigo: Blob Julio Severo terminated?

Fonte: www.juliosevero.com

Blog Julio Severo no mundo inteiro

PayPal coloca escritor cristão na lista negra

Livro “O Movimento Homossexual” agora disponível em e-book

Blogagem profética, testemunho de Julio Severo na sua luta contra o PLC 122

Facebook, Google e sites de mídia social energicamente censuram conteúdos cristãos

Google censura grito de socorro em favor de crianças indígenas

Incrível! WikiNews censura notícia que denunciava censura ao Blog Julio Severo

Google devolve ao Blog Julio Severo o direito de livre expressão

Google aponta Brasil como líder mundial no pedido de censura no Blogger, Orkut e YouTube

Para seguir Julio Severo no Facebook e Twitter: http://twitter.com/juliosevero Facebook: http://www.facebook.com/profile.php?id=742399629

 

Categorias:Notícias